Monte da Raposinha, una furtiva lagrima

A convite da importadora Grand Cru, participei de uma degustação dos vinhos produzidos pela vinícola alentejana Monte da Raposinha, que contou com a participação de um dos seus proprietários, o simpático Nuno Ataíde. A Monte da Raposinha está localizada no norte do Alentejo, em Montargil, e seu nome “Raposinha” é uma homenagem ao pai da atual proprietária, que assim a chamava quando criança.

A vinificação teve início em 2007, e hoje a propriedade tem uma capacidade de produção de aproximadamente 100.000 garrafas, patamar considerado ideal para a manutenção dos níveis de qualidade já atingidos. Todas as atividades de produção estão sob a supervisão da enóloga consultora Susana Esteban, eleita enóloga do ano pela Revista de Vinhos em 2011. A vinícola também foi escolhida como produtor revelação do ano pela mesma publicação.

Mas vamos aos vinhos!

1) Monte da Raposinha Branco 2011 – R$ 58,00 – Um corte de arinto (85%) e sauvignon blanc (15%) que funcionou muito bem. Aromas de frutas cítricas e notas de abacaxi no nariz, com boa mineralidade, acidez e equilíbrio. Acompanha bem entradas e frutos do mar, como uma salada de camarão. Avaliação: Bom

Monte da Raposinha Branco

2) Athayde Branco Reserva 2010 – R$ 88,00 – Neste corte a arinto aparece com apenas 15%, abrindo espaço para a chardonnay (85%) que traz boa untuosidade e faz deste um vinho mais sério e suculento. No nariz, notas cítricas e minerais, com boa acidez e mais estrutura. Deve harmonizar bem com carnes brancas, incluindo peixes com molhos mas elaborados. Avaliação: Muito bom

Athayde Branco Reserva

3) Nós 2010 – R$ 42,00 – O primeiro tinto da vinícola é um corte de touriga nacional, syrah e trincadeira, em proporções iguais, e leva esse nome porque a palavra “nós” traz um sentido de partilha, pessoas estando juntas para degustar um bom vinho. E bom esse vinho realmente é, com boa expressão de fruta, frescor e taninos finos. Não tem passagem por madeira. Uma ótima compra pelo preço. Avaliação: Bom

Nós 2010

4) Monte da Raposinha Tinto 2010 – R$ 69,00 – Mais complexo e estruturado do que o seu irmão mais novo, este corte de touriga nacional, aragonês, alicante bouschet, syrah e trincadeira traz muita fruta madura, elegância, boa concentração, e um floral mais evidente, provavelmente em função da presença da touriga nacional. Na boca, sentimos a fruta e notas balsâmicas. Acompanhará bem carnes vermelhas. Vale o quanto custa. Avaliação: Muito bom

Monte da Raposinha Tinto 2010

5) Athayde Grande Escolha 2009 – R$ 120,00 – Esse tinto mescla as uvas syrah, touriga nacional, aragonês e alicante bouschet, e traz belíssimos aromas de frutas maduras, pimenta, e algumas notas químicas. Com passagem em barricas por 14 meses, na boca sente-se o tostado, além de especiarias. Muito elegante e integrado, com boa persistência. Como o seu antecessor, deve ir muito bem com carnes vermelhas e molhos mais fortes. Avaliação: Muito bom

Athayde Grande Escolha Tinto

6) Furtiva Lagrima 2008 – R$ 320,00 – Como bom apreciador de ópera, já comecei a gostar desse vinho mesmo antes de prová-lo, somente pelo seu nome e rótulo. O nome é uma homenagem a ária “Una furtiva lagrima” da ópera L’elisir d’amore, escrita por Gaetano Donizetti, e que conta a estória de Nemorino, um simples mas apaixonado camponês, que para conquistar o coração da amada Adina, compra uma garrafa de vinho pensando ser uma poção mágica que fará com que ela finalmente o ame de volta. O rótulo é uma beleza à parte, tendo inclusive já conquistado prêmios pelo seu design e efeito da aplicação na garrafa. Produzido com as uvas alicante bouschet, syrah e touriga nacional, e com estágio de 16 meses em barricas novas de carvalho francês, traz aromas de frutas vermelhas maduras e um leve tostado. É elegante, muito bem integrado e tem final longo. Um vinho belíssimo! Durante a degustação, o Nuno Ataíde ainda nos contou que o chamou assim porque ele próprio gosta muito de ópera e costumava cantar essa ária durante as suas aulas de canto lírico quando criança. Para fechar a noite, não se conteve e ainda nos presenteou com alguns versos muito bem cantados… “Una furtiva lagrima… Negli occhi suoi spuntò… quelle festose giovani… invidiar sembrò…” Avaliação: Excelente

Fvrtiva Lagrima

Santé e obrigado a Grand Cru pelo convite!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s